terça-feira, 30 de julho de 2013


LUCIAN FREUD EXPÕE “CORPOS E ROSTOS” NO MASP
Por Cristiane Sampaio
Mtb. 61.431

Olá,

Dando continuidade a nossa programação especial de férias, com dicas de filmes, viagens e arte, os convidamos hoje para uma grande exposição do MASP (Museu de Artes de São Paulo Assis Chateaubriand). Pela primeira vez no Brasil, Lucian Freud apresenta a mostra “Corpos e Rostos”. Ele tem o nome o pai da psicanálise e não é por acaso, Lucian é neto legítimo de Sigmund Freud e traz em sua arte a ousadia e irreverência do avô. Talento único que vem impressionando o mundo. Aqui a exposição vem se realizando desde 28 de junho e tem o término previsto para 13 de outubro de 2013. Imperdível aos fãs da psicanálise!

Segundo informações do MASP, Lucian Freud é um dos principais artistas do pós-guerra, tem foco em sua produção gráfica e apresenta dois períodos marcantes em sua carreira como gravurista: o primeiro deles na década de 1940, quando ainda jovem fez um pequeno número de gravuras experimentais e, depois de um longo intervalo, um segundo momento a partir da década de 1980, quando criou uma sucessão de obras extraordinárias usando a técnica da água-forte. Estes trabalhos mais recentes incluem uma ampla seleção de nus e retratos e foram descritos como “uma conquista paralela à suas pinturas”.

A exposição no Brasil traz ao público seis quadros: um autorretrato do começo de sua carreira e cinco pinturas de diferentes décadas, incluindo Girl with Roses, de 1947- 48. E se completa com a exibição de 28 fotos tiradas por David Dawson, seu assistente, amigo e fotógrafo oficial que além de registrar os movimentos do artista e seus modelos no ateliê, costumeiramente servia ele próprio de modelo para Lucian Freud, que nasceu em 1922 na Alemanha e naturalizou-se inglês em 1939.

Para Teixeira Coelho, “Lucian Freud praticou o que se pode descrever como humanismo incômodo. “Pinto o que vejo, não o que você quer que eu veja”, costumava dizer aos que o censuravam por um verismo que julgavam exagerado. De fato, Lucian Freud mostrava um comprometimento total com seus modelos, persistentemente buscando apreender toda sua verdade, que ele via como algo invasivo e perturbador, não tranquilizador. Essa persistência o levava a gastar 18 meses de trabalho com uma modelo, sete noites por semana, para chegar à obra final. Outra persistência sua foi com o figurativismo, que não abandonou em nenhum momento. Essa insistência chegou mesmo a causar escândalo quando, em 1976, uma exposição na Hayward Gallery de Londres organizada pelo também artista R.B.Kitaj defendeu o que este chamava “Escola de Londres”, reunindo artistas como o próprio Lucian Freud, Frank Auerback, Francis Bacon, Leon Kossof e outros que faziam do figurativismo um elemento de resistência contra o abstracionismo dominante. Abstracionismo, com Lucian Freud, só aquele acidentalmente feito por seus pincéis quando os limpava nas paredes de seu ateliê, sobrepondo mancha de tinta a mancha de tinta...”, afirmou.

Não perca. Uma mostra que levanta muitos questionamentos e nos leva a reflexões.

Serviço:
MASP - Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand

Av. Paulista, 1578. Acesso a deficientes. Horários: De 3ªs a domingos e feriados, das 10h às 18h. Às 5ªs: das 10h às 20h. A bilheteria fecha meia hora antes. Ingresso: R$ 15,00. Estudantes, professores e aposentados com comprovante: R$ 7,00. Acesso gratuito a todos às terças-feiras e para visitantes com até 10 anos e acima de 60 anos.Estacionamento: Car Park – Alameda Casa Branca, 41. R$ 14,00 para até duas horas. Pegar selo do estacionamento na recepção do MASP para ter descontos.

Fonte: www.masp.art.br

0 comentários:

Postar um comentário

Popular Posts

Loading...
Subscribe to RSS Feed Follow me on Twitter!