sexta-feira, 29 de abril de 2016


SEMEANDO A PSICANÁLISE SBPRP – 03 DE MAIO DE 2016

O que a Psicanálise e a Tecnologia têm em comum? O Toque necessário! O “toque”, guardadas suas devidas peculiaridades, é o fio que perpassa o universo psicanalítico interligando-o  à tecnologia.
O toque no teclado ou na tela é diferente do “toque” emocional! Mas ambos são essenciais para que haja conexão! O objeto que o bebê busca, à partir de seus impulsos de sobrevivência, é um objeto virtual.  A mãe-objeto fornecedora de vida, é virtualmente “sonhada” pela criança. O que difere esse virtual, início de construção mental, do virtual que permite um contato com o objeto “sonhado” na tela? O que faz o toque no teclado ganhar significado? A realidade psíquica, não  tangível diretamente, em que difere da realidade virtual? O que faz o analista, sem o toque subjetivo que lhe permitirá encontrar e compreender emocionalmente seu paciente? Seguindo por esse caminho, muito há pra se conversar.
À partir dos conceitos de M. Klein e W. Bion, vamos observar como o “toque”, que implica no estabelecimento de Relação, determina a construção da mente e do desenvolvimento psíquico. Paralelamente, iremos observar como a Tecnologia, que se infiltra na vida do indivíduo, pressupõe, de alguma forma e em algum momento, o “toque”: no teclado, na tela, no mouse... Assim, este será nosso fio de ligação entre as vicissitudes destes dois universos: a Psicanálise e a Tecnologia.


Silvana Vassimon (analista didata SBPRP).


terça-feira, 26 de abril de 2016

Cinema & Psicanálise Ribeirão Preto, apresenta: 

Dia 29 de abril às 19h30 o filme HER (Spike Jonze), comentários de Patrícia R. de Andrade Tittoto.
Local da apresentação: Anfiteatro da Unidade de Emergência (UE) da FMRP-USP/ Rua Bernadino de Campos, 1000.



O filme Her (2013, EUA),  sonhado e realizado por Spike Jonze,  traz elementos ricos que investigam o mundo contemporâneo questionando quais seriam as novas formas de construção da subjetividade. Para pensarmos como temos vivido as relações humanas, usa como fio condutor os recursos tecnológicos, fazendo nascer Samantha, um software, objeto de amor `a Theodore, um homem solitário, enfrentando um processo de divórcio, que trabalha escrevendo cartas românticas. A partir daí ele passa a ter uma colaboradora disponível em tempo integral, que o escuta, dá boa sugestões, é engraçada, afável. Dentro deste contexto, pergunta-se: “Quem não sonha encontrar um interlocutor que o faça sentir-se acolhido e compreendido”?
Patrícia R. de Andrade Tittoto (membro associado SBPRP)

quarta-feira, 20 de abril de 2016

IV Bienal de Psicanálise e Cultura da SBPRP

Inscrições pelo site: www.sbprp.org.br/bienal
#IVBienal


Você lê, compreende, fala e escreve bem esse novo idioma?



A rapidez de informações exigida pelo mundo contemporâneo afeta diretamente a função da memória e da linguagem verbal. Assim, buscaremos ampliar nossas reflexões sobre a linguagem, especialmente, na medida em que a narrativa, que pressupõe o tempo passado, presente e futuro vem se transfigurando em linguagem cifrada ao atender o presente imediato. O genial escritor Marcelino Freire, com suas inusitadas e criativas produções literárias, e a sensível psicanalista Dra. Vera Lucia Colussi Lamanno Adamo que abordará “o trabalho de construção da palavra viva”,  desenvolverão, juntos, o importante tema: “Linguagem e Narrativa em tempos de WhatsApp”

Saiba mais sobre Marcelino Freire e Dra Vera Lucia Colussi Lamanno Adamo:

Marcelino Freire

Currículo
Escritor e produtor cultural, um dos principais nomes (e divulgadores) da nova geração de escritores brasileiros. Autor, entre outros, do vencedor do Prêmio Jabuti Contos Negreiros, de RASIF – Mar que Arrebenta e de Amar é Crime. Idealizou e organizou a antologia Os Cem Menores Contos Brasileiros do Século. Vários de seus contos foram adaptados para teatro e cinema. É o criador e curador do evento Balada Literária que reúne, anualmente, quase uma centena de escritores, nacionais e internacionais, pelo bairro paulistano da Vila Madalena (fonte: Instituto Vera Cruz).

Vera Lucia Colussi Lamanno Adamo

Currículo
Vera L. C. Lamanno Adamo, psicanalista, membro efetivo e analista didata do GEPCampinas e da SBPSP, é mestre em Humanistic Psychology pela Antioch University (Antioch for British Studies, Londres), é doutora em Ciências Médicas (Área de Saúde Mental) pela Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP. Autora de artigos publicados em Revistas Nacionais e Internacionais. Autora do livro Trabalho do Negativo, Casa do Psicólogo, 2014.

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Convite da Presidente da SBPRP Dra. Maria Bernadete Amêndola Contart de Assis para a participação na IV Bienal.
Psicanálise e Tecnologia: mais perguntas do que respostas.
Link da inscrições: www.sbprp.org.br/bienal
#IVBienal

video

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Aproveitem! Até dia 14/04 faça a sua inscrição com desconto!
Inscrições pelo site: www.sbprp.org.br/bienal


terça-feira, 12 de abril de 2016


sexta-feira, 8 de abril de 2016

Inscrições no site: www.sbprp.org.br/bienal


 A intensidade de informações da era tecnológica exige uma reorganização dos sentidos, da noção de tempo, do conhecimento e memória, no nível individual e coletivo.  Como consequência, o ensino e a aprendizagem pedem novas trajetórias, nas quais a participação humana e o uso das ferramentas precisam ser continuamente repensados.  A IV Bienal abrirá este espaço de reflexão a todos os interessados na experiência do aprender e do conhecer, ampliando estas questões desde o âmbito da Educação à Psicanálise. O consagrado Prof. Dr. José Armando Valente, da área de Tecnologia, Comunicação e Educação Digital e a experiente psicanalista Sra. Jassanan Amoroso Dias Pastore desenvolverão este instigante tema a partir de suas especialidades em “O aprender com a experiência: repensando as funções do homem e das ferramentas”.

Conheça um pouco mais sobre os palestrantes:


José Armando Valente

Livre Docente pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Mestre e Doutor pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT). Professor Titular do Departamento de Multimeios, Mídia e Comunicação, Instituto de Artes, e Pesquisador do Núcleo de Informática Aplicada à Educação (NIED) da UNICAMP. Professor Colaborador do Programa de Pós-Graduação em Educação: Currículo, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Coordenador do Grupo Gestor de Tecnologias Educacionais (GGTE) da UNICAMP.


Sra. Jassanan Amoroso Dias Pastore

Psicanalista clínica desde 1978. Membro efetivo e docente da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo (SBPSP) e do Departamento de Psicanálise do Instituto Sedes Sapientiae. Editora e autora de artigos da Revista ide da SBPSP, 2005-2008. Curadora e participante do programa Bom-Dia Saúde: Mente Humana, da TV Cultura, 2006-2008. Organizadora, tradutora e apresentadora da edição brasileira do livro Da neurologia à psicanálise: desenhos e diagramas da mente por Sigmund Freud, Ed. Iluminuras, 2008. Organizadora e autora de capítulos do livro O psicanalista na comunidade, publicado pela SBPSP, 2012. Coordenadora dos números na interface com a psicanálise da Revista Ciência & Cultura, da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). Autora do livro: O trágico: Schopenhauer e Freud, Primavera Ed., 2015. Mestra pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP). 

terça-feira, 5 de abril de 2016

Dresler Horschutz pinta e fotografa desde os anos 80.
Na pintura, seu trabalho é predominantemente abstrato, destacando-se o uso que faz das cores e da luminosidade.
Na fotografia vem utilizando recursos do web design, de modo que suas imagens raramente expressam o objeto tal como foi apreendido pelo Clik.

Dresler Horschutz
Nome da exposição Arte Digital II 2016

Arte digital ou arte de computador é aquela produzida em ambiente gráfico computacional. Utiliza-se de processos digitais e virtuais. Inclui experiências com net arte, web arte, vídeo-arte, etc. Tem o objetivo de dar vida virtual às coisas e mostrar que a arte não é feita só a mão. Existem diversas categorias de arte digital tais como pintura digital, gravura digital, programas de modelação 3D, edição de fotografias e imagens, animação, entre outros. Os resultados podem ser apreciados em impressões em papéis especiais ou no próprio ambiente gráfico computacional. Vários artistas usam estas técnicas. Ao contrário dos meios tradicionais, o trabalho é produzido por meios digitais. A apreciação da obra de arte pode ser feita nos ambientes digitais ou em mídias tradicionais
(Wikipédia, a enciclopédia livre)



Popular Posts

Loading...
Subscribe to RSS Feed Follow me on Twitter!