segunda-feira, 14 de março de 2011

Por Cristiane Sampaio
MTB: 61431

Boa Tarde, pessoal!

Tenho um enorme prazer em abrir este blog. Aqui, estarei representando a Sociedade Brasileira de Psicanálise de Ribeirão Preto, e temos como objetivo divulgar um pouco mais sobre a PSICANÁLISE e convidá-los a participar de eventos científicos, onde todos, leigos ou não, vão compreender as entrelinhas que giram em torno deste campo criado por Sigmund Freud.

Já que começamos falando de história, que tal nos aprofundarmos mais e detalhar aqui a história de FREUD? Vamos lá!

Freud, como neurologista, tratava essencialmente de pacientes com paralisias, afasias e amnésias. Essas pessoas sofriam de distúrbios histéricos. Procurou, antes de tudo, curar e tratar esses pacientes, aliviando os seus sofrimentos psíquicos. Durante um ano, utilizou os métodos terapêuticos aceitos na época: massagens, hidroterapia, eletroterapia. Mas logo constatou que esses tratamentos não tinham nenhum efeito. Começou a utilizar a hipnose, inspirando-se nos métodos de sugestão de Hippolyte Bernheim.

Trabalhando ao lado de Joseph Breuer (médico austríaco), Freud substituiu progressivamente a hipnose pela catarse, inventou o método da associação livre, com isso, a Psicanálise. Essa palavra foi empregada pela primeira vez em 1896 e sua invenção foi atribuída a Breuer.

Com o decorrer do tempo Freud estudou e realizou novas descobertas, como o abandono da teoria da sedução segundo a qual toda neurose se explicaria por um trauma real ocorrido na vida do indivíduo. Essa renúncia, fundamental para a história da psicanálise, ocorreu em 21 de setembro de 1897.

Logo, começou então a elaborar sua teoria sobre as fantasias sexuais infantis, concebendo, concomitantemente, uma nova teoria do sonho e do inconsciente. Fundou uma sociedade de psicologia e formou um círculo com os primeiros colegas interessados em conhecer e expandir a nova ciência. 

Freud era muito respeitado, e não só pelos homens; por sua doutrina e por sua condição de psicoterapeuta, Freud desempenhou um papel na emancipação feminina. Ligado em sua vida particular a uma concepção burguesa da família patriarcal, adotava, todavia, em suas amizades com mulheres intelectuais, uma atitude perfeitamente cortês, moderna e igualitária.

Para afirmar seus conceitos e conclusões Freud escreveu vários artigos e livros, através dos quais também pode definir sua segunda tópica e remanejar inteiramente sua teoria do pré-consciente, consciente, inconsciente e do dualismo pulsional.

Freud também publicou um ensaio sobre a Guerra e a Morte, onde tinha como objetivo que o sujeito "se organizasse em vista da morte, a fim de melhor suportar a vida". Logo, nasceram novas correntes do Freudismo moderno: Kleinismo, Ego Psychology, Self Psychology, lacanismo, annafreudismo, etc.

Com o decorrer dos anos, Freud adquiriu um tumor, sofreu trinta e três operações, que acarretaram dificuldades enormes em se comunicar através da fala. Mas problemas físicos não foram empecilhos para ele. Ainda criou várias polêmicas com suas publicações e com a tentativa de garantir aos não-médicos o direito de se tornar psicanalístas.

Fugindo da perseguição nazista, mudou-se para Londres para “morrer em liberdade”. Nessa cidade escreveu seu último livro: “Moisés e o monoteísmo”. Lá, definiu aquela como sua última guerra e firmou um acordo com seu médico Max Shur: "Você prometeu não me abandonar quando chegasse a hora. Agora é só uma tortura sem sentido". Por três vezes, ele deu a Freud uma injeção de três centigramas de morfina. Em 23 de setembro de 1939, às três horas da manhã, depois de dois dias de coma, Freud morreu tranqüilamente. Suas cinzas repousam no crematório de Golders Green.

Como se pode observar, a trajetória e historia da psicanálise está indissociavelmente ligada à vida de Freud. No próximo post, vamos nos aprofundar ainda mais na história da PSICANÁLISE.

Não deixe de conferir!


Fonte: Dicionário de Psicanálise de autoria de Elisabeth Roudinesco e Michel Plon. Jorge Zahar Editor. 1998.

4 comentários:

  1. Excelente texto! Importante conhecer a trajetório desde homem que revolucionou o mundo com a sua teoria do incosnciente. Assim como Copérnico, Freud provocou uma grande revolução ao apresentar o inconsciente à humanidade!

    ResponderExcluir
  2. Olá Violeta!

    Obrigada pelo comentário, está é uma tentativa de mostrar um pouco a todos a origem da Psicanálise e seus criadores, como Freud.

    Continue nos acompanhando e comentando por aqui, será sempre bem-vinda.

    Att,
    SBPRP

    ResponderExcluir
  3. Parabéns,excelente texto!!Esse é o pai da Psicánalise...FREUD!!

    ResponderExcluir
  4. Gosto de saber do ser.... (freud)Histórias lindas de vida.

    ResponderExcluir

Popular Posts

Loading...
Subscribe to RSS Feed Follow me on Twitter!